Vértigo – tradução

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Vértigo.

Mais uma tradução livre, de uma música de Ismael Serrano. O olhar do “cantautor” espanhol. Sempre original.

Disco: Atrapados en azul.
Estreno: febrero de 1996
Letra: Ismael Serrano
Música: Ismael Serrano

Veja o clip: http://www.youtube.com/watch?v=SdE5F6UlpAM

Receberei postais do estrangeiro,
doces e amargos, beijos, recordações.
Como estão todos? Sinto saudades.
Como passa o tempo…
Seremos outros, seremos mais velhos
e quando por fim me observe em teu espelho,
espero ao menos que me reconheças,
recorde um pouco o que sou agora.
Aquelas mão, aquela mulher,
aquele inverno não parava de chover,
perdoa que chegue tão tarde,
espero saber compensar-te.
Estás tão bonita, te convido a um café,
a tarde é nossa, despe-me.
Trás o relâmpago te dizia: “Sempre
recolherei flores em teu ventre”.
Outro homem dormirá contigo
e dará nome a todos os teus filhos.
Vem, chegue perto de mim,
deixe que te veja,
que outras primaveras
te ao de levar muito longe de mim.
Vertigem, que o mundo pare,
que curta se me faz a viagem.
Me escutarás, me buscarás,
quando me perca
e não mostre o norte
a estrela polar?
As frias manhas na faculdade,
tu quase sempre fugias comigo ao bar,
e me chateavas se preferias
a aula à minha companhia.
Sobre a mesa garrafas vazias,
que bom é te fazer rir,
e agora mudemos o mundo, amiga,
que você já mudou o meu.
Que farei quando te busque na classe,
e meu eco me responda ao te chamar?
Outros virão e me dirão
que você foi embora,
que cansou
já de esperar.
Vertigem, que o mundo pare,
que curta se me faz a viagem.
Me escutarás, me buscarás,
quando me perca
e não mostre o norte
a estrela polar?
E na ronqueira, os traiçoeiros nervos,
que me atacam antes de cada show,
velhas canções, antigos versos,
que espero retenham algum eco.
E no futuro espero, companheiro, irmãos.
ser um bom cara, não atraiçoá-los.
Que a vertigem passe e a nossas janelas
lusca o sol cada manha.
Mas basta de lamentos,
brindemos, é o momento,
que estamos todos
e não falta quase ninguém,
que temos que apressar
a noite que acaba de começar.
Vertigem, que o mundo pare,
que curta se me faz a viagem.
Me escutarás, me buscarás,
quando me perca
e não mostre o norte
a estrela polar?

MigX

Engenheiro, funcionário público, metido a escritor e ilustrador... Publicou na Quark, Scarium e e-nigma. Membro fundador da Oficina de Escritores, vem tentando sua própria jornada do herói na vida, e a viagem do escritor, nos blogs e na OE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Seja bem vinda, bem vindo!

Assine nossa lista  e, além de receber nossa newsletter com as novidades do site,
Ganhe 2 E-books Grátis:

Escreva Seu Livro
  • Escreva Seu Livro, o passo a passo para começar hoje mesmo!
  • 28 Mapas Mentais com as regras de ortografia e gramática, que todo estudante deveria saber!

Sucesso na inscrição!

Ocorrou um erro ao tentar encaminhar seu pedido. Por favor, tente novamente.