Se se calasse o ruído

Compartilhe:
  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Tradução livre da música:
Si se callase el ruido
Artista: Ismael Serrano
Álbum: Sueños de un hombre despierto
Data de lançamento: 2007

Não te deixarão dormir esses estrondos infinitos
que tentam encher os dias de sombras e inimigos.
Um estrondo trovejante, insiste em silenciar
as perguntas, as nuances, o murmúrio dos “ojalás”.

Não te deixarão dormir esses estrondos infinitos
que tentam encher os dias de sombras e inimigos.
Um estrondo trovejante, insiste em silenciar
as perguntas, as nuances, o murmúrio dos “ojalás”.

Ruído de patriotas que se envolvem em bandeiras,
Confundem a pátria com as ordens das suas cavernas.
Ruído dos convertidos que, caídos do cavalo,
Semeiam seu rancor perseguidos por seus pecados.

Se se calasse o ruídos
ouvirias a chuva cair
limpando a cidade dos fantasmas,
Te ouviria falando em sonhos
e abriria as janelas.

Se se calasse o ruído
talvez pudéssemos conversar
e soprar sobre as feridas,
talvez entenderias
que nos fica a esperança.

Ruído de iluminados gritam desde suas fogueiras
Trazendo o fim do mundo… a luz da diferença.
Ruído dos inquisidores nos falando de liberdades
rasgando, com seus gritos, seu verniz de tolerantes.

Nunca teve a batalha, tanto ruído de guerreiros,
Eles trazem de suas ameias, a paz dos cemitérios.
Fale-me sobre seus abraços, sobre o nosso amor imperfeito
da luz de sua utopia, que sua voz cubra essa ruptura.

Se se calasse o ruídos
ouvirias a chuva cair
limpando a cidade dos fantasmas,
Te ouviria falando em sonhos
e abriria as janelas.

Se se calasse o ruído
talvez pudéssemos conversar
e soprar sobre as feridas,
talvez entenderias
que nos fica a esperança.

Se se calasse o ruídos
ouvirias a chuva cair
limpando a cidade dos fantasmas,
Te ouviria falando em sonhos
e abriria as janelas.

Se se calasse o ruído
talvez pudéssemos conversar
e soprar sobre as feridas,
talvez entenderias
que nos fica a esperança.

Se se calasse o ruído
ouvirias a chuva cair
limpando a cidade dos fantasmas,
Te ouviria falando em sonhos
e abriria as janelas…

Se se calasse o ruído
talvez pudéssemos conversar
e soprar sobre as feridas,
talvez entenderias
que nos fica a esperança.

Se se calasse o ruídos
ouvirias a chuva cair
limpando a cidade dos fantasmas,
Te ouviria falando em sonhos
e abriria as janelas…

Gostou?

Dá uma olhada também em:

Um Estranho Casal

Vértigo

El vírus del miedo…

Para as mães de maio

MigX

Engenheiro, funcionário público, metido a escritor e ilustrador... Publicou na Quark, Scarium e e-nigma. Membro fundador da Oficina de Escritores, vem tentando sua própria jornada do herói na vida, e a viagem do escritor, nos blogs e na OE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.