Um Estranho Casal

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Para que meus amigos conheçam as letras de Ismael Serrano e, talvez, entendam o motivo pelo qual gosto tando.

Tradução livre de “Una Extraña Pareja”, Ismael Serrano, Album: Atrapados en Azul (1995)

Eram conhecidos pelas ruas do bairro
Conhecidos em todos os bares e botecos (tavernas)
Ele tão sério, tão alto, tão pálido e delgado
Ela morena e frágil, tão graciosa e pequenaEle rondava mais ou menos os cinquenta
Ela devia ter, não mais que vinte e quatro
Ele dava aulas, creio, na universidade
Ela, creio, fazia um curso de italiano
Bebiam e se amavam, ou isso parecia
Discutiam as vezes, as vezes sorriam
Se beijavam e adiavam, mas ninguém é prefeito
O amor é difícil e estranho nestes tempos

A noite debilita aos corações
Noites de funeral, de vinho e rosas
Brindemos pelo amor e seus fracassos
Quiçá podamos escolher nossa derrota
O sol limpa as ruas e a memória
Ferozes paixões atenua
Invente o final de cada história
Que o amor, é eterno enquanto dura

Ele entrou uma noite ao bar de costume
Ia vestido todo, de rigoroso luto
Venha bêbado e sozinho, trazia o gesto serio
E entre as mãos uma coroa de defuntos
Ela o havia deixado, nos explicou sereno
E havia decidido considera-la morta
E brindar por seu esquecimento e seu descanso eterno
E celebrar seu enterro de boteco (taverna) em boteco
Foi assim que lá fomos nós, e para que contar-lhes
Copos, vinhos e risadas, alguma vomitona
Abraços de amisade, eterna aquela noite
Requiescat e brindemos, por ela e sua memória

A noite debilita aos corações
Noites de funeral, de vinho e rosas
Brindemos pelo amor e seus fracassos
Quiçá podamos escolher nossa derrota
O sol limpa as ruas e a memória
Ferozes paixões atenua
Invente o final de cada história
Que o amor, é eterno enquanto dura

Ao sair da bodega, já estava muito bêbado
Caiu no asfalto e me inclinei ao seu lado
Soube que estava morrendo de repente
Disse algo ao meu ouvido, desfei-se em meus braços
Foi levado pela ambulancia com a sua coroa e tudo
E eu parti para cumprir, seu encargo maldito
Cheguei ao bar, que ele havia me indicado
E procurei a garota (muchacha) entre a fumaça e o barulho
Por fim a vi, dançava muito lentamente
Refugiada no cálido peito de um rapaz (muchacho)
Lhe contei e me ouviu, abraçou-se com seu par
Eu não sei se chorou, apenas não se via

A noite debilita aos corações
Noites de funeral, de vinho e rosas
Brindemos pelo amor e seus fracassos
Quiçá podamos escolher nossa derrota
O sol limpa as ruas e a memória
Ferozes paixões atenua
Invente o final de cada história
Que o amor, é eterno enquanto dura

MigX

Engenheiro, funcionário público, metido a escritor e ilustrador... Publicou na Quark, Scarium e e-nigma. Membro fundador da Oficina de Escritores, vem tentando sua própria jornada do herói na vida, e a viagem do escritor, nos blogs e na OE.

Um comentário em “Um Estranho Casal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Seja bem vinda, bem vindo!

Assine nossa lista  e, além de receber nossa newsletter com as novidades do site,
Ganhe 2 E-books Grátis:

Escreva Seu Livro
  • Escreva Seu Livro, o passo a passo para começar hoje mesmo!
  • 28 Mapas Mentais com as regras de ortografia e gramática, que todo estudante deveria saber!

Sucesso na inscrição!

Ocorrou um erro ao tentar encaminhar seu pedido. Por favor, tente novamente.