El vírus del miedo…

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

El virus del miedo.

Mais uma tradução livre, de uma bela música deste espanhol que sabe como ninguém lançar um olhar diferente sobre situações comuns.

Album: Naves ardiendo más allá de Orión
Estreno: marzo de 2004
Letra: Ismael Serrano
Música: Ismael Serrano

Veja o clip: http://www.youtube.com/watch?v=KEEJcYQO9b8

O amavam, nem mais nem menos,
e retirava de si a cada manha
os espinhos do sono.
Jurava e amaldiçoava
e se enroscava no alambrado
da mansa rotina.

Vivia como você e como eu.
Toda sexta a noite
ia buscar o seu amor.
Fumava tranquilo,
planejava a semana
e ela lhe arrancava o cigarro
e o beijava.

Mas um dia o picou o vírus do medo.
Entendeu que as mulheres
nunca tem dono.
E temeu que ela fosse embora,
que se esgotasse o manancial,
sem um porquê.
Venceu o medo e faltou ao último encontro,
não atendeu ao telefone
que gritava na cabeceira.
E o temor a derrota
o pegou como uma câimbra,
sem um porquê.

Duro, intenso e precário…
Se enfrentava a cada dia
aos altos e baixos no trabalho.
E uma manha a covardia
o paralisou na porta
e não entrou no escritório.

Voltava a acordar
e começava o jornal
como tantos para trás.
Viu e sentiu a noite
do planeta e seu desastre,
teve medo e decidiu
não sair à rua.

E ai o tens, encerrado em casa,
tremendo como um menino,
selando as janelas,
para não ver, nem escutar,
sentir, notar a vida explodindo la fora.
Por medo a sentir medo
foi para a cama,
como uma lagarta se escondeu
e enrolado nos cobertores
adormeceu,
o sonho virou fumaça
e esqueceu o mundo
por medo de despertar.

Ainda segue adormecido.
Passaram os invernos
e ainda segue escondido,
esperando que teu abraço
lhe inocule a vacina
e elimine o vírus do medo
e sua loucura.

Digam que não é magnífica!

MigX

Engenheiro, funcionário público, metido a escritor e ilustrador... Publicou na Quark, Scarium e e-nigma. Membro fundador da Oficina de Escritores, vem tentando sua própria jornada do herói na vida, e a viagem do escritor, nos blogs e na OE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.