Pin It

Cientistas confirmam que material genético primitivo veio do espaço

Olha ai o que eu estava dizendo…
Saiu no APOLO11.COM, os cientistas confirmam queo material genético primitivo veio do espaço.
Acho que “eles” estão chegando. Protejam-se!
Fora de brincadeira, as invormações estão se acumulando. O que será que está pro traz de tudo isso?

Simples coincidências? Bem, eu não acredito muito em coincidências. Vamos aguardar os próximos fatos, enquanto isso leia o artigo publicado na APOLO11:

Se você acredita que as atuais formas de vida na Terra podem ter alguma coisa a ver com material extraterrestre vindo do espaço, prepare-se. Não sabemos se isso é bom ou ruim, mas você pode estar certo.

Cientistas europeus e norte-americanos confirmaram pela primeira vez que um importante componente genético primitivo, encontrado em fragmentos de um meteorito, é de origem extraterrestre. O paper (trabalho cientí­fico) foi publicado no dia 15 de junho de 2008 no Earth and Planetary Science Letter e sugere que parte do rol de materiais que constituí­ram as primeiras moléculas de DNA e RNA veio realmente das estrelas.

Os materiais descobertos incluem moléculas de uracil e xanthine, que são precursoras das moléculas que compõe o DNA e RNA, conhecidas como nucleobases. Os materiais foram encontrados em fragmentos de rocha do Meteorito de Murchison, que caiu na Austrália em 1969.

Durante as pesquisas os cientistas testaram os fragmentos para determinar se as moléculas eram de fato extraterrestres ou se eram resultado de contaminação com material local, ocorrido no momento da chegada í  Terra. As análises mostraram que os nucleobases continham uma forma de carbono mais duro e que somente poderia ter se formado fora da Terra, já que os compostos de carbono formados na Terra consistem em uma variedade mais leve.

Os trabalhos foram liderados pela cientista Zita Martins, ligada ao Departamento de Engenharia e Ciências da Terra do Colégio Imperial de Londres, em conjunto com Mark Sephton, da mesma instituição. “Acreditamos que as formas iniciais de vida na Terra tenham adotado os nucleobases, provenientes de meteoritos, na codificação genética. Isso permitiu que suas caracterí­sticas fossem passadas com sucesso para as gerações seguintes”, disse Martins.

Entre 3.8 e 4.5 bilhões de anos atrás, muitas rochas similares ao Meteorito de Murchison caí­ram na Terra, ao mesmo tempo em que as primitivas formas de vida ainda estavam se formando. Segundo o estudo, o intenso bombardeio de meteoros teria trazido grandes quantidades de material não somente í  superfí­cie da Terra, mas também em outros planetas como Marte, por exemplo.

Sephton acredita que a pesquisa é um importante passo para a compreensão de como a vida inicial pode ter evoluí­do. “Como os meteoritos representam o material restante da formação do Sistema Solar, os componentes chaves para vida, incluindo os nucleobases, podem ter se propagado por todo o cosmos. í€ medida que mais elementos forem descobertos nos objetos vindos do espaço, melhor será a compreensão do iní­cio da vida”, disse Sephton.

Foto: Fragmento do Meteorito de Murchison, similar ao utilizado no trabalho. O objeto caiu em uma pequena vila chamada Murchison, localizada a 167 quilômetros de Melbourne, na Austrália, em 28 de setembro de 1969.

Veja também:

Compartilhe:

MigX

Engenheiro, funcionário público, metido a escritor e ilustrador... Publicou na Quark, Scarium e e-nigma. Membro fundador da Oficina de Escritores, vem tentando sua própria jornada do herói na vida, e a viagem do escritor, nos blogs e na OE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *